1.jpg

De dentro para fora


capitalismoconsciente

Futuros e presentes empreendedores sociais,

Hoje nossa postagem pertence ao Alexandre Teixeira, escritor e jornalista, autor do livro Felicidade S.A. e que agora está lançando sua segunda obra De Dentro para Fora (saiba mais sobre o livro clicando AQUI).

Conheci o Alexandre nas avenidas virtuais, entrando em contato via e-mail, depois de assistir a uma entrevista em que falava sobre seu livro.

De Dentro pra Fora trata de um tema caro ao nosso blog, pois discute o papel que os negócios devem ocupar na sociedade e de que maneira os empreendedores podem injetar propósito nas empresas que criam e, por tabela, no capitalismo. Trata-se da essência dos negócios sociais, e, portanto, da essência de nosso blog.

Aproveite, assim como eu fiz, suas palavras sobre o novo livro na época em que o lançou!

-----

De Dentro para Fora

Esta terça-feira, dia 28 de abril, vai ser especial para mim. Deve marcar o fim de um ciclo e, espero, o início de outro, com o lançamento de meu segundo livro, chamado De Dentro Para Fora.

Comecei a trabalhar neste livro em outubro de 2013. Na época, assisti a duas palestras na plataforma digital de palestras TED que, para mim, se apresentaram como um desafio intelectual.

Eram palestras de dois professores importantes de Harvard: o filósofo político Michael Sandel e o guru de negócios Michael Porter. Dois dos principais pensadores da atualidade, cada um em sua área de especialidade, ambos refletindo sobre as empresas e os impactos de suas atividades.

Suas palestras foram absolutamente opostas, em relação ao papel dos negócios na sociedade. Michael Sandel foi bastante crítico, dizendo que as empresas ocuparam um espaço maior do que o devido e precisam ser forçadas a recuar. Michael Porter disse que os negócios são uma força importante de transformação e deveriam ter seu espaço aumentado.

A partir dali, comecei a fazer pesquisas e entrevistas, discutindo exatamente que papel os negócios devem ocupar na sociedade e de que maneira os empreendedores podem injetar propósito nas empresas que criam e, por tabela, no capitalismo.

O livro desdobra essa questão em quatro partes: Por que vale a pena reinventar os negócios, Pessoas que usam os negócios como ferramenta de transformação, Transformando as relações de trabalho e Felicidade no trabalho.