1.jpg

Conheça 10 aplicativos sociais que estão turbinando a agricultura na África


A Ventures África, revista que trata de inovação e negócios no continente, trouxe reportagem que lista dez aplicativos sociais que estão impulsionando a agricultura africana.

O setor, que movimenta anualmente mais de 100 bilhões de dólares, é o mais forte do continente e responsável pelo sustento econômico (e em muitos casos pela sobrevivência) de milhões de africanos.

Com o uso intensivo da tecnologia em prol da solução de problemas, disseminação de informações e integração de atores, percebe-se a transformação econômica e social em curso em decorrência do aumento do desempenho e da produtividade de fazendeiros, agricultores e pecuaristas.

Espera-se que com a expansão do uso de smarthphones e da conexão Wi-Fi no continente, a tecnologia possa impactar ainda mais a vida o dia a dia de seus beneficiários, gerando resultado e impacto significativo nos países que a adotam.

Por trás dos aplicativos, temos inovadores e empreendedores sociais, que por meio de negócios e soluções estão solucionando problemas sociais, fortalecendo a economia de suas nações e, assim, causando grande transformação em seu entorno. Estão mudando o seu mundo!

Veja um pequeno resumo de cada um dos aplicativos:

1. i-cow

Criado por um fazendeiro queniano, o i-cow é voltado aos pequenos criadores de gado leiteiro e oferece serviço amplo de informações que os auxiliam no aumento de produtividade. As funcionalidades vão desde otimização da nutrição animal, passando pelo melhor momento para a coleta e indo até a gestão do estoque de leite.

2. Vet-Africa

A escocesa Cojengo uniu-se à Microsoft e a Addis Ababa University para criar o Vet África, um aplicativo revolucionário no tratamento e diagnóstico pecuário na Etiópia.

Podendo ser utilizado tanto por fazendeiros quanto por veterinários, o Vet-Africa oferece recomendações de tratamento e indicação de profissionais veterinários localizados em áreas próximas.

Por enviar e armazenar dados na nuvem, o aplicativo permite acompanhamento da doença e os usuários são capazes de obter de forma rápida o diagnóstico do animal. Com isso podem procurar tratamento adequado, preservando a vida do animal e mantendo a própria subsistência.

3. M-Farms

O aplicativo fortalece vínculo e comunicação entre os atores da cadeia de suprimentos da agricultura em plataforma que conecta revendedores / varejistas, importadores de fertilizantes, agroquímicos e produtores de sementes que passam a interagir com o uso de telefone celular (SMS, serviços de mensagem de voz etc.).

Com a eliminação de intermediários, ocorrem descontos significativos bem como o aumento das quantidades transacionadas e a partir do módulo mSurvey, projetos e organizações do agronegócio podem criar suas próprias pesquisas via telefone celular.

4. Esoko

O Esoko, presente em nove países do continente africano, atua como uma plataforma de conexão entre agricultores, fazendeiros e seus principais stakeholders: ONG´s, Estado, empresas etc.

O usuário escolhe o mix de serviços que poderá contemplar ferramentas de monitoramento (pesquisas, votações por SMS, análise de perfil etc.), soluções de marketing (campanhas por SMS e mensagem de voz, propaganda e publicidade direcionada, ofertas e promoções etc.) e serviços de consultoria (alertas de preço e condições meteorológicas, dicas de colheita, call centers entre outros).

5. EZ Farms

O EzFarms foi desenhado para ajudar empreendedores que estão investindo em áreas rurais de pequena escala e para aqueles que moram em áreas urbanas distantes de onde suas fazendas e ranchos estão localizados.

Projetado por um cientista da IBM, o aplicativo fornece uma visão em tempo real, via celular, dos níveis de humidade do solo tanto para agricultores quanto para empresas de irrigação, garantindo o fornecimento de água em tempo e quantidade adequados.

6. Agro-Hub

Originário de Camarões, o Agro-Hub é uma plataforma que auxilia pequenos agricultores em processos chave do negócio, tais como: realizar pedido de fornecedores, acompanhar estoques e realizar campanhas de marketing e vendas.

Além disso, o aplicativo tem diversas funcionalidades que objetivam integrar a comunidade envolvida com a agricultura no país, usando a informação em prol da eficiência do mercado.

7. Cocoa Link

Gana, o segundo maior produtor mundial de cacau, é o país em que surgiu o Cocoa Link.

O aplicativo, com mais de 100.000 usuários, oferece informações e dicas práticas de especialistas em agricultura – em inglês ou na língua local –, a custo zero, para os usuários que são cultivadores de cacau.

8. Kilimo Salama

Do Quênia vem o Kilimo Salama, que também é conhecido como Safe Agriculture, que fornece aos fazendeiros e agricultores dados climatológicos em tempo real via mensagens de texto, bem como dicas para melhorar a produtividade, garantir a segurança alimentar e proteger suas colheitas em períodos de climas difíceis.

9. Kuza Doctor

O Kuza Doctor garante que agricultores e fazendeiros quenianos possam receber informações especificas sobre o crescimento e a evolução de colheitas, solo, clima, sementes, dentre outras, por meio de práticas consideradas sustentáveis e ambientalmente responsáveis.

10. Modisar

Aplicativo de gestão pecuária que com seis módulos básicos: (a) gestão de fazendas e ranchos; (b) gestão de animais; (c) gestão de saúde animal; (d) administração de arrendatários; (e) finanças fazendárias; (f) notificações de prazos, metas e marcos.

Voltado para os fazendeiros de Botswana, o Modisar ganhou o prêmio Orange de Negócios Sociais Africanos em 2014.

Ajudando pequenos fazendeiros, agricultores e camponeses africanos a empreender, melhorar a produtividade e aumentar o desempenho, os dez aplicativos estão revolucionando a África? Sim. Que tal um realizar um benchmarking em um dos casos acima para trazê-lo ao Brasil?

Fraternal abraço,

Gabriel Cardoso

GOSTOU? COMPARTILHE!

#tecnologia #impactosocial #empreendedorismosocial #negóciossociais #agricultura

  • Twitter
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • LinkedIn ícone social

© 2014 Mude, Você, o Mundo! Empreendedorismo social e economia de impacto

Todo material pode ser utilizado desde que citada a fonte.